Aproximadamente 1,4 mil alunos de escolas da rede pública de ensino tiveram aulas extras sobre educação ambiental na última semana de novembro. As aulas foram ministradas por integrantes do projeto Florestinha de Campo Grande, entre os dias 27 de novembro a 1º de dezembro, na unidade de ensino estadual Carlos de Castro Brasil, Rotary Club e na Escola Municipal Tilma Fernandes Veiga, em Corumbá.

Outros municípios também são atendidos pelo menos uma vez por mês. Ao longo do ano foram atendidos mais de 32 mil alunos no Estado, extrapolando a meta de 30 mil para 2017.

Conforme as informações, o trabalho é feito em metodologia lúdica. Além disso, são entregues folhetos aos professores sobre os temas discutidos para que eles continuem a discussão dos temas, de forma que os estudantes entendam que o ambiente é um sistema complexo. De onde saem todas as riquezas e serviços que servem e mantêm viva à humanidade.

A ideia é que os alunos entendam que nesse sistema complexo e interativo, qualquer ente afetado, prejudica outros em cadeia, gerando desequilíbrios que vão interferir diretamente na qualidade de vida do ser humano. As oficinas didáticas são com as seguintes temáticas:

1. Reciclagem de papel, com palestra sobre os problemas relacionados aos resíduos sólidos;

2. Visitação ao museu de animais e peixes taxidermizados e materiais utilizados em crimes ambientais (empalhados), com palestra sobre fauna, pesca, atropelamentos de animais silvestres, etc;

3. Apresentação do teatro de fantoches, com peças sobre as questões ambientais, como: desmatamentos, incêndios florestais e resíduos sólidos, etc;

4. Ciclo da Água, com palestras sobre o ciclo, uso sustentável, poluição e escassez dos recursos hídricos;

5. Casa da Energia – Trata-se de uma maquete de uma residência com todos os locais de consumo de energia (lâmpadas, chuveiros, ar condicionado, geladeira, micro-ondas etc.). Com esta oficina é realizada a discussão e informação sobre os tipos de energia e a importância ambiental de se economizar este recurso;

6. Plantio de mudas nativas, com palestra sobre flora (Desmatamento, erosão de solos, controle de poluição, assoreamento), preservação, conservação e uso racional dos recursos hídricos;

Nota divulgada pelo governo ressalta que “o importante desse trabalho é a formação de multiplicadores e o envolvimento dos policiais com a comunidade, o que permite mais confiabilidade e, consequentemente, mais empenho da população no auxílio em defesa do ambiente equilibrado, essencial à sadia qualidade de vida, conforme prevê o artigo 225 da Constituição Federal de 1988”.

(Portal Capital News, 04/12/2017)