Foi com o intuito de incentivar a leitura e a escrita dos alunos do Ensino Médio que a Diretoria de Ensino de Mogi Mirim (SP) criou o projeto Biblioarte. Com início nesse segundo semestre, a atividade teve adesão de todas as 72 escolas estaduais sob a supervisão da diretoria.

“A ideia foi que cada participante pegasse uma obra literária e a transformasse em uma outra linguagem, seja por meio de produção textual ou expressões artísticas”, destaca Gleicyane Tarossi, analista sociocultural do Núcleo Pedagógico e idealizadora do projeto.

A atividade foi dividida em duas fases. Na primeira, os estudantes tiveram contato com artistas de vários gêneros para tirar dúvidas sobre os processos. Em seguida, foi proposta a atividade dentro da Sala de Leitura. Sempre com foco nas disciplinas de Língua Portuguesa e Artes, propostas pelo Currículo do Estado de São Paulo. “Realizamos inúmeras intervenções artísticas baseadas nas duas disciplinas”, conta.

Apesar de estar em seu primeiro ano, o projeto foi selecionado para participar do 9º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias, realizado nos dias 7, 8 e 9 de novembro no Memorial da América Latina, em São Paulo. No evento, os trabalhos das escolas foram expostos em painéis.

“Agora a ideia é fazer, no mês de dezembro, uma mostra para apresentar todas as atividades realizadas”, concluiu Gleicyane.

Incentivo à leitura na rede estadual

A rede estadual de São Paulo mantém diversos projetos de incentivo à leitura e acervo variado de livros nas unidades. Mais de 3,1 mil escolas participam do programa Sala de Leitura. As salas são ambientes pedagógicos interdisciplinares onde os estudantes contam com livros, jornais, revistas e conteúdo audiovisual como DVDs e CDs. Além da leitura, os professores costumam utilizar esses espaços para criar oficinas de contação de histórias, clubes de leitura, teatro, jogos lúdicos, entre outros projetos.

(SEDUC-SP, 16/11/2016)