As oficinas de robótica realizadas no Colégio Estadual Mestre Paulo dos Anjos, no bairro da Paz, em Salvador (BA), são ferramentas para melhorar o processo de ensino e aprendizagem da instituição. É na unidade que a equipe Flash Light, formada por estudantes entre 14 e 16 anos, se prepara para mais uma competição de robótica que acontecerá em um shopping da capital nos dias 24 e 25 de agosto. O evento faz parte da Olimpíada Baiana de Robótica, prévia para as competições a nível regional e que devem ocorrer no mês de novembro.

A professora de química e treinadora da equipe, Marlene Oliveira, explica que na oficina os alunos aprendem técnicas de montagem, programação, além de desenvolverem um projeto de pesquisa. “É uma iniciativa que desperta e estimula os nossos alunos para um conhecimento e aprendizados mais completos. A tecnologia faz parte da nossa rotina e os alunos precisam estar preparados para atender as demandas de um novo perfil de profissional que inclui a convergência das diversas áreas do conhecimento. A robótica é nossa parceira nesse desafio da educação”, explica.

Na unidade de ensino, mais de 20 alunos participam das atividades da oficina de robótica que acontecem duas vezes por semana, às segundas e sextas, e tem duração de três horas. O estudante Rafael Teixeira, de 14 anos, é aluno do nono ano e desde 2016 participa da equipe Flash Light, período que ele considera de superação. “A robótica vem me ajudando muito, por exemplo, preciso estudar mais português para conseguir desenvolver o projeto de pesquisa, preciso da matemática para fazer a programação do nosso robô e por aí vai. Assim eu consigo me dedicar mais às atividades da escola e venho para a atividade extracurricular da robótica com muita felicidade”, revela.

Para o campeonato regional de robótica que irá ocorrer em novembro, a equipe está trabalhando no tema ‘cidades criativas’. Novata na equipe, a estudante Mailane Souza, diz estar fascinada com a ideia de usar a robótica para resolver problemas da sociedade. “Num cenário em que a população está crescendo muito rápido, nós vamos propor formas de resolver problemas que estão no nosso dia a dia. Eu cheguei sem entender quase nada de robôs, mas agora eu nem penso em deixar a minha equipe”, revela.

Foi por meio da robótica que a unidade de ensino conquistou quatro títulos regionais do Torneio SESI de Robótica First Lego League (FLL). As competições sempre propõem que os estudantes apresentem soluções para problemas do cotidiano. A treinadora da equipe, professora Marlene conquistou o prêmio ‘Técnico Destaque’ na edição de 2018 e em que concorreu com 86 técnicos da região Nordeste.

(Governo do Estado da Bahia, 15/07/2019)

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support