Professores, servidores e alunos do Centro de Ensino Fundamental 507 (CEF 507) de Samambaia realizaram atividades coletivas pela promoção da paz no colégio no dia 14 de setembro. Só até o dia 12 de setembro a escola havia registrado 603 ocorrências de indisciplina entre estudantes.

Os estudantes pintaram e escreveram cartazes com os dizeres “chega de violência” e “o CEF pede paz”, que foram colados no muro da unidade.

Um dos responsáveis pela idealização do projeto foi o vice-diretor Alex Cruz Silva, 45 anos, vítima de um episódio de agressão promovido por um dos alunos. Ele defendeu a importância de atividades coletivas com este propósito e comemorou o resultado.

Os alunos ficaram tocados, foi muito bacana. Eles também são vítimas da violência, também sofrem. Infelizmente, o colégio leva essa má fama, quando a grande maioria dos estudantes querem e lutam pela paz”, Alex Cruz Brasil, vice-diretor do CEF 507

Na segunda-feira (10), Alex Cruz foi agredido por um estudante que estava suspenso e havia sido barrado pelo docente enquanto tentava entrar na unidade. O professor teria levado um soco no ombro e quase foi “furado” por um canivete automático sacado pelo adolescente de 16 anos.

O Metrópoles teve acesso ao relatório da unidade. Dos 630 casos de indisciplina registrados, 210 referem-se à desordem e 145 são relativos a brigas e ameaças. Além do adolescente envolvido na briga com o gestor, outros 203 estudantes acabaram suspensos por comportamentos indisciplinares.

Violência nas escolas

Uma pesquisa feita pelo Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro-DF) apontou que 97,15% dos educadores da rede pública já presenciaram atos de violência dentro dos centros de ensino. Entre os docentes ouvidos, 57,98% foram vítimas da violência que assombra os colégios da capital.

(Metrópoles, 14/09/2018)

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support